Seção: Palestras

Nosso Lar – A Vida dos Espíritos

I – Revisão
Pensamento
Definição de Andre Luiz: “O pensamento é, sem dúvidasforça criadora de nossa própria alma e, por isto mesmo, é a continuação de nós mesmos. Através dele, atuamos no meio em que vivemos e agimos, estabelecendo o padrão de nossa influência, no bem e no mal”.
Lembrem-se também: todo e qualquer pensamento emite fluídos/vibrações.
Pelos pensamentos estamos sintonia com todas as pessoas encarnadas e desencarnadas que pensam como nós.
Vejamos estas passagens:
“Imaginemo-lo (o espírito) como sendo um dínamo gerador, indutor, transformador e coletor, ao mesmo tempo, com capacidade para assimilar correntes contínuas de força e exteriorizá-las simultâneamente” (Mecanismos da Mediunidade, p. 49).
Dínamo: máquina que transforma energia mecânica em energia elétrica.
Vejamos mais esta lição de André Luiz sobre a mente (“Mecanismos da Mediunidade”, fl. 47):
“A matéria mental é o instrumento sutil da vontade, atuando nas formações da matéria física, gerando as motivações de prazer ou desgosto, alegria ou dor, otimismo ou desespero, que não se reduzem efetivamente a abstrações, por representarem turbilhões de força em que a alma cria os seus próprios estados de mentação indutiva, atraindo para si mesma os agentes (por enquanto imponderáveis na Terra), de luz ou sombra, vitória ou derrota, infortúnio ou felicidade”.
“Mentação Indutiva: a indução significa o processo através do qual um corpo que detenha propriedades eletromagnéticas pode transmiti-las a outro corpo sem contato visível, no reino dos poderes mentais a indução exprime processo idêntico, porquanto a corrente mental é suscetível de reproduzir as suas próprias peculiaridades em outra corrente mental que se lhe sintonize.”
“E tanto na eletricidade quanto no mentalismo, o fenômeno obedece à conjugação de ondas.”
Assim, aos poucos, vamos compreendendo porque estamos em sintonia com todos aqueles que pensam como nós.
- Umbral
O umbral é uma dimensão vibracional densa, formada pelas vibrações mentais dos encarnados e desencarnados, destinada a expurgar os fluídos densos dos espíritos desencarnados.
Iremos todos para o Umbral? Em regra sim, pois a grande maioria de nós estamos em sua faixa vibracional. Porém, não importa se vamos para esta faixa vibracional, mas sim como nós vamos.
Ao longo dos estudos veremos que existem várias colônias espirituais na faixa vibracional denominada Umbral, além de hospitais e Postos de Socorro. Assim, precisamos retirar de nossas mentes que o Umbral é um sinônimo de inferno.
Umbral é uma faixa vibratória mais densa e somente isso.
E, como eu disse, não importa se vamos para esta região e sim como vamos chegar nela.
Aqueles que acreditam em Deus, fazem caridade, praticam o Bem pelo Bem, são corretos no dia a dia, fazem preces sinceras no decorrer de suas vidas, estes, com certeza, recebem uma assistência espiritual de seus amigos espirituais afins. Assim, normalmente, após o desencarne, são encaminhados para os hospitais e colônias existentes no Umbral.
De outro lado, aqueles que não dedicam um minuto de sua vida ao próximo, praticando caridade. Aqueles que fazem o mal pelo mal, não meditam ou fazem prece. Aqueles que, como André Luiz, fumam, bebem, comem em excesso, vivem em casas de prostituição etc., como veremos, estão lesionando não só o corpo físico, mas o corpo espiritual também e, naturalmente, não possuem uma ligação com os seus guias espirituais, sendo que, dificilmente, são encaminhados para o hospitais ou colônias, porque eles precisam expurgar estes fluídos densos adquiridos ao longo da vida terrena. Além da necessidade de alterar a faixa vibratória de pensamento a que se acostumaram por décadas.
Então é isso que precisamos guardar: umbral não é inferno, é faixa vibracional natural do nosso estágio evolutivo. E não importa se vamos para lá e sim como iremos. E o “como iremos” será determinado pelas nossas ações durante nossa vida terrena.
II – “Nosso Lar”
Conforme analisado semana passada, a colônia espiritual “Nosso Lar” localiza-se nas vizinhanças do umbral e é considerada uma colônia de transição.
Recebe o nome de colônia de transição, porque serve para que os espíritos advindos da região umbralina sejam socorridos e se adaptem ao Mundo Espiritual, programando novas reencarnações ou elevando-se para outras camadas vibratórias menos densas.
Como visto, nós passamos décadas no Mundo Material, assim, torna-se necessário se adaptar ao Mundo Espiritual e colônias como “Nosso Lar” também possui esta finalidade.
 – Organização de “Nosso Lar”
Nosso lar é uma cidade na dimensão vibracional conhecida como Mundo Espiritual.
Por ser uma colônia de transição ela possui sua organização estrutural voltada para receber e socorrer os espíritos desencarnados, auxiliá-los na programação da próxima reencarnação e, quando o caso, prepará-los para elevar-se às esferas mais altas do Mundo Espiritual.
Na colônia existem espécies de edificações, lá chamados de Ministérios, são eles:
- Ministério da Regeneração;
- Ministério do Auxílio;
- Ministério da Comunicação;
- Ministério do Esclarecimento;
- Ministério da Elevação;
- Ministério da União Divina.
Lísias explica a André Luiz:
“Os quatro primeiros (Regeneração, Auxílio, Comunicação e Esclarecimento) nos aproximam das esferas terrestres, os dois últimos (Elevação e União Divina) nos ligam ao plano superior, visto que a nossa cidade espiritual é zona de transição. Os serviços mais grosseiros localizam-se no Ministério da Regeneração, os mais sublimes no da União Divina” (fl. 56, “Nosso Lar”).
E, com o assombro de André Luiz com tamanha organização, Lísias ressalta “Nenhuma organização útil se materializa na crosta terrena, sem que seus raios iniciais partam de cima”.
Existe um Governador da colônia e ele possui 72 Ministros que o auxiliam na organização da cidade.
III – Diversas Curiosidades sobre o Mundo Espiritual
- Espíritos Trabalham?
Sim!
Diferentemente do que muitos acham, no Mundo Espiritual não há ócio e sim trabalho constante.
Inclusive, somente pelo trabalho é que as pessoas conseguem benefícios específicos em “Nosso Lar”, como casa ou até mesmo socorro espiritual para alguém.
Vejamos a passagem em que o Ministro Clarêncio explica esta questão para uma moradora de “Nosso Lar” que pede recursos de proteção a seu filho:
“Só no espírito de humildade e de trabalho é possível a nós outros proteger alguém. Que me diz de um pai terrestre que desejasse ajudar os filhinhos, mantendo-se em absoluta quietação no conforto do lar? O Pai (Deus) criou o serviço e a cooperação como leis que ninguém pode trair sem prejuízo próprio. Nada lhe diz a consciência, neste sentido? Quantos bônus-hora poderá apresentar em benefício de sua prentensão?” (p. 87/88, “Nosso Lar”).
Isso mesmo, não há só trabalho no Mundo Espiritual, existe também espécie de dinheiro, chamado em “Nosso Lar” de “bônus-horas”.
Nas palavras de uma amiga de André Luiz o bônus hora: “não é propriamente moeda, mas ficha de serviço individual, funcionando como valor aquisitivo” (p. 139, “Nosso Lar”).
Em “Nosso Lar” o vestuário e alimentação elementar são distribuídos gratuitamente. Além disso, existem locais destinados a abrigar aqueles que foram socorridos a pedidos de amigos ou familiares. Porém, aqueles que querem um diferencial precisam trabalhar.
Existe até mesmo um limite de jornada: “Cada trabalhador deve dar, no mínimo, oito horas de serviço útil, sendo permitido quatro horas de esforço extraordinário” (p. 140, “Nosso Lar”).
Para trabalhos mais árduos a remuneração é duplicada.
Importante entender: “Bônus-hora” não existe para que a pessoa desencarnada acumule patrimônio, mas sim é uma forma de quantificação de merecimento. A quantidade de bônus horas demonstra o tempo que a pessoa dedicou aos trabalhos na colônia e na cooperação ao próximo. Assim, torna-se mais fácil a adaptação ao sistema de merecimento, pelo qual o espírito consegue intervenções específicas ao seu favor, além de privilégios pessoais como ir em um concerto de música, roupas diferentes, etc.
Vejamos, portanto, que o Mundo Espiritual não é lúdico, ele é apenas outra dimensão, mas lá existe uma vida social normal, como aqui.
 - Espíritos Comem?
Sim.
O que é comer? Comer é ingerir alimentação necessária para manutenção das forças vitais do corpo.
A pessoa quando desencarna não apenas muda de traje? A alma não é eterna? Então, por óbvio, ela precisa se alimentar.
Assim, o corpo espiritual necessita de alimento, mas o alimento comum à dimensão do Mundo Espiritual, ou seja, não é idêntico ao alimento do Mundo Material.
Ocorre que essa mudança de alimentação é de difícil adaptação para nós depois do desencarne.
André Luiz explica no livro “Evolução em Dois Mundos”, p. 211:
“Os desencarnados em crise dessa ordem são conduzidos pelos agentes da Bondade Divina aos centros de reeducação do plano espiritual, onde encontram alimentação semelhante à da Terra, porém fluídica, recebendo-a em porções adequadas até que se adaptem aos sistemas de sustentação da esfera superior”.
Vejamos o caso narrado em “Nosso Lar”:
Em “Nosso Lar”, no início, era comum os seus habitantes quererem alimentos similares ao da Terra por simples vício mental.
Ocorre que o corpo espiritual não necessita mais de alimentação da forma que nós estamos habituados, basta que haja a absorção de energia vibracional/fluídica (para eles é concreta, mas comparada à nossa possui características fluídica).
Como “Nosso Lar” é uma colônia de transição, servindo para adaptação da nova realidade, seus dirigentes, com ajuda de colônias mais evoluídas, determinaram uma mudança de hábitos.
A alimentação deveria deixar de ser similar ao Mundo Material,  proporcionando uma real adaptação da pessoa no Mundo Espiritual.
Houve até mesmo revolta pública de alguns setores de “Nosso Lar”, a fase de transição para o novo sistema de alimentação durou mais de 50 anos.
Durante este período chegou a haver contrabando de comida na região do Ministério da Regeneração, onde havia pessoas desencarnadas recém chegadas do umbral.
Durante seis meses “os serviços de alimentação de ‘Nosso Lar” foram reduzidos à inalação de princípios vitais da atmosfera, através da respiração e água misturada a elementos solares, elétricos e magnéticos” (fl. 65, “Nosso Lar”).
Após esta fase, apenas as regiões do Ministério da Regeneração e do Auxílio permaneceram com alimentos similares à esfera terrestre.
- Espíritos Dormem? Sonham?
Claro!
Ora, o que são espíritos?
Espíritos não somos nós em outra dimensão?
Nós, em outra dimensão, não possuímos outro traje? Outro corpo? Mais fluídico do que o atual, mas que não deixa de ser um corpo?
O perispírito, nome que damos ao corpo do espírito no Mundo Espiritual, também sofre com o esgotamento de energias. A mente do espírito, ou seja, a nossa mente quando desencarnados também fica fatigada.
Dessa forma, o sono lá é como aqui, para recuperar o desgaste físico e mental da pessoa.
No capítulo 36 do livro “Nosso Lar”, André Luiz narra seu sonho.
Como estudaremos mais a frente, quando dormimos o espírito se liberta temporariamente das amarradas do corpo físico e adentra no Mundo Espiritual.
O sonho, dessa forma, costuma ser a nossa experiência no Mundo Espiritual. Porém, em regra, pouco ou nada guardamos desta lembrança, porque o cérebro humano não possui a aptidão para armazenar duas vidas (veremos isso a fundo outro dia).
O fato é, como vimos, nós, quando desencarnados, também possuímos um corpo, o chamado perispírito.
E a pessoa desencarnada (espírito), quando dorme também sonha e também se desprende do atual corpo (perispírito).
Disso surgem duas dúvidas:
1ª – Que forma o espírito usa ao sair do até então único corpo que ele possui (perispírito)? Encarnados nós temos o corpo físico, o perispírito e o espírito. Quando dormimos, encarnados, nós desprendemos do corpo físico, adentrando no Mundo Espiritual, nesse instante, o espírito “veste” o perispirito. Pois bem e como isso ocorre quando já estamos no Mundo Espiritual? Ou seja, quando já somos Espírito + Perispírito.
2ª – Se já estamos no Mundo Espiritual, para onde vamos quando sonhamos, enquanto espírito desencarnado?
Lembra quando falamos que “Nosso Lar” é uma colônia de transição?
Lembra quando explicamos que o umbral é apenas uma dimensão vibracional?
Pois bem, dentro do Mundo Espiritual, existem diversas dimensões vibracionais.
O Umbral e “Nosso Lar” estão na mesma dimensão vibracional, tanto que a colônia “Nosso Lar” possui muros em volta da cidade com sistema de segurança para impedir a invasão de espíritos trevosos (veremos isso mais para frente).
Pois bem, como vimos antes, “Nosso Lar” serve para socorrer espíritos que chegam do umbral e para eles se adaptarem ao Mundo Espiritual, podendo programar novas reencarnações ou elevar-se a esferas mais altas.
Estas esferas mais altas constituem outras dimensões vibracionais, muito mais leves do que a dimensão vibracional do “Nosso Lar”.
Na questão 93 do Livro dos Espíritos é explicado: “O Espírito está revestido de uma substância vaporosa para ti, mas ainda bem grosseira para nós”.
E ainda, na questão 94, afirmam que para os Espíritos superiores chegarem em nossa dimensão espiritual necessitam tornar seus perispírito mais densos.
Em “Nosso”, a mãe de André Luiz mora em uma colônia nestas esferas mais altas.
Assim, quando André Luiz dorme, ele se despreende do corpo perispiritual e ascende até a dimensão que a mãe dele mora.
O que ocorre entre “Nosso Lar” e a esfera vibracional onde a mãe de André Luiz mora (esferas mais altas) é basicamente a mesma coisa que ocorre com a gente e a esfera vibracional onde fica o umbral e o “Nosso Lar”.
E qual o corpo que o espírito de André Luiz usa para ascender até a esfera vibracional de sua mãe?
O espírito forma o chamado “corpo mental”, que é apenas um envoltório sutil da mente que envolve o espírito. Andre Luiz ressalta que não há ainda como definir precisamente para nós o que seria este corpo mental, em razão de falta de terminologia adequada.
Ficamos, assim, com a ideia de que o “corpo mental” é um envoltório sutil que envolve o espírito daquele que se desprende do períspirito, assumindo a forma que a mente deste espírito determina.
- Existem Reuniões Mediunicas no Plano Espiritual?
Como vimos, dentro do próprio mundo espiritual existem diversas dimensões vibracionais.
Tanto o é assim, que, como visto, o Livro dos Espíritos traz a lição de que os espíritos superiores precisam tornar seu corpo espiritual (perispírito) mais grosseiro para atuarem aqui.
Da mesma forma, a mãe de André Luiz, para poder visitá-lo pessoalmente em “Nosso Lar” precisou condensar seu corpo espiritual, adequando-o à escala vibracional em que estava André Luiz.
E o que o médium?
Médium é simplesmente a pessoa que consegue se comunicar com outras pessoas que habitam a outra dimensão vibracional. Não é nada mágico, místico ou sobrenatural.
Da mesma forma que aqui, no Mundo Espiritual, na dimensão vibracional do “Nosso Lar”, existem pessoas que conseguem se comunicar diretamente com outras pessoas que habitam dimensões vibracionais diferentes.
No livro “Libertação” existe a seguinte passagem (fl. 49):
“Os doadores de energia radiante, médiuns de materialização em nosso plano, se alinhavam, não longe, em número de vinte. (…). Esbranquiçada nuvem de substância leitosa-brilhante adensa-se em derredor e, pouco a pouco, desse bloco de neve translúcida, emerge a figura viva e respeitável de veneranda mulher”.
Existem dezenas de outras reuniões mediúnicas narradas por Andre Luiz, sempre realizadas na dimensão vibracional dele, recebendo visitas de espíritos superiores que habitam outras dimensões vibracionais mais elevadas.
Dessa forma, estes espíritos superiores, para se comunicarem, não precisam passar por todo o processo de condensação de seus corpos espirituais.
Depois, com o estudo contínuo dos livros, vamos analisar cada uma destas reuniões mediúnicas. Mas, assim, já vamos entendendo que o Mundo Espiritual possui várias e várias dimensões vibracionais. A própria ciência terrena, atualmente, já admite a existência de mais de 10 dimensões (física quântica).IV – Exercícios para a semana

Vamos encerrar os estudos de hoje propondo manter os três exercícios da semana passada e acrescentar um derivado do primeiro.
Iremos manter: a) evitar pensamentos não edificantes durante o dia a dia; b) emitir bons pensamentos quando cruzamos com pessoas na rua (principalmente as claramente necessitadas); c) meditar cinco minutos ao menos três vezes na semana.
O exercício que vamos acrescentar deriva do primeiro “evitar pensamentos não edificantes”.
Será o seguinte: evitar ao máximo ficar nervoso, com raiva, com cólera, “perder a razão”.
Semana que vem veremos a explicação do que acontece com a gente quando ficamos nervosos, quando perdemos o controle!

 

4 Comentários

Vanessa Molina { 14 de julho de 2013 às 15:27 }

Simplesmente Maravilhoso! Obrigada Deus por ter feito a vida com tanta perfeição… Quando conhecemos a verdade, nos sentimos libertados… Eu sei que vamos nos reencontar… Anseio por esse dia…

helen tetiane { 27 de julho de 2013 às 16:59 }

nossa muito lindo eu perdi minha mãe q era minha mãe amiga e meu pai,pois foi ela quem criou sozinha eu e minhas irmãs gostaria muitooooooooooooooooo de receber uma carta dela para saber como ela está será q isso é realmente possível ,pois acredito e muito em vida após a morte e sei q um dia vamos nos encontrar q deus abençoe a todos.

Breno Costa { 27 de julho de 2013 às 17:02 }

Olá Helen!
Não tem nem morte, só vida, sempre, há apenas passagem de dimensões.
O importante é você continuar sua vida aqui, rezando para elas, mas mandando pensamentos bons, positivos, incentivando-as a continuar a vida delas lá. Um dia vão se encontrar sim, mas agora vc tem que viver aqui e ela lá, como um parente que faz uma viagem distante.
Segue sua vida aplicando o Evangelho de Jesus e você estará se preparando para a Vida Maior e um dia a encontrará!
Abraços.

Herbert Willian { 28 de setembro de 2014 às 23:38 }

O Google me trouxe a esta página em busca da resposta para a pergunta: “por que há um muro gigantesco na colônia Nosso Lar? (Eu estava assistindo o filme). Não só encontrei a resposta como encontrei mais uma ótima fonte de informações para meus estudos. Agradeço muito aos irmãos que compartilham seus conhecimentos!!!

Deixar um Comentário

Mensagens
Palestras todas as terças-feiras às 20:00 hrs no Núcleo Espírita - Amor e Paz
Rua Coronel José Bráz, 682 - Marília / SP

Clique aqui para ver a localização no mapa
| Clique para entrar em contato