Seção: Autores Diversos Dr. Ricardo Di Bernardi

Energia Sexual – Origem do masculino e do feminino

Artigo do Dr. Ricardo Di Bernardi, que começará a contribuir com o site.

            *

O Sexo tal qual vivenciamos agora, como seres humanos reencarnados, estruturou-se no decurso de incontáveis milhões de anos. Todos nós já tivemos inúmeras vivências que passamos tanto na dimensão física como na dimensão espiritual, isto vem ocorrendo desde que fomos projetados como fagulhas infinitesimais a jorrar da fonte Criadora. Todas as nossas aquisições, sem exceção, decorreram de inúmeras experiências adquiridas nas passagens pela vida material e pela vida extrafísica e estas inúmeras passagens ocasionaram, em cada um de nós, estímulos diversos determinando as características que hoje apresentamos.

Desde o átomo, onde o núcleo atrai os elétrons, até os seres de níveis mais elevados do universo, que trocam intensos fluxo de amor, a energia sexual pulsa como força geradora de união e progresso. É longo e infinito o caminho a ser percorrido na estrada do progresso.

 A sede real do nosso sexo, não se acha, de forma alguma, no veículo físico, mas sim na profundidade espiritual, em sua estrutura complexa. Da mesma forma, a formação do sexo masculino e feminino provém de tempos imemoriais quando ainda éramos um simples princípio espiritual que se tornaria Espírito no escoar dos infinitos milhões de anos.

O instinto sexual já se expressava quando os primeiros agrupamentos de mônadas celestes se reuniam magneticamente umas às outras; tais quais núcleos e elétrons se atraem no microcosmo e sóis e planetas interagem trocando energias no macrocosmo.

 É sobejamente conhecido, de todo estudioso das questões espirituais, que a essência do espírito não tem sexo, mas no transcorrer de nossa longa jornada reencarnatória adquire-se peculiaridades individuais que hoje expressamos energeticamente através de uma polaridade, que pode ser mais ativa (masculina) ou mais receptiva (feminina) na esfera da sexualidade.

 A polaridade masculina ou feminina presente em nós, tanto no corpo astral como na exteriorização biológica, construiu-se lentamente, desde as primeiras encarnações do princípio espiritual. Os princípios espirituais, desde o início do seu mergulho na dimensão física, traziam em sua constituição um “gênero” no teor de força, ou seja, uma condição intrínseca que se expressava em energias predominantemente ativas ou passivas. E, conforme estudamos na magnífica obra, Evolução em Dois Mundos, os Seres Coordenadores da evolução em nosso Planeta estimularam tais pendores ou tendências energéticas.  

A intensificação das tendências energéticas ativas e passivas favoreceu o futuro surgimento do masculino e feminino. O aparecimento do sexo, no veículo físico, iniciou-se nas bactérias e células primitivas nas quais já se observavam, em algumas delas, qualidades magnéticas positivas ou negativas, isto é, ativas ou receptivas. Essas tendências, segundo informações de autores extrafísicos, foram estimuladas pelos Orientadores Espirituais encarregados do progresso do planeta Terra. O surgimento do masculino e do feminino elaborou-se lenta e gradativamente, portanto, desde a origem do Espírito. 

 *

Dr. Ricardo Di Bernardi     

 www.icefaovivo.com.br

1 Comentário

Ana Lúcia Ribeiro da Silva { 3 de setembro de 2014 às 13:38 }

Muito interessante e importante para a compreensão mais ampla a respeito deste assunto. Muitos espíritas e estudantes tem dúvidas a esse respeito. Esclarecedor.

Deixar um Comentário

Mensagens
Palestras todas as terças-feiras às 20:00 hrs no Núcleo Espírita - Amor e Paz
Rua Coronel José Bráz, 682 - Marília / SP

Clique aqui para ver a localização no mapa
| Clique para entrar em contato