Seção: Palestras

Corpo Espiritual – Perispírito – Psicossoma

O chamado corpo espiritual ou perispírito possui células e órgãos? Como eles funcionam? Isso e muito mais neste estudo.

I – Revisão

Como visto, o chamado períspirito ou corpo espiritual, nada mais é do que o corpo utilizado por nós na dimensão vibratória que conhecemos como “Mundo Espiritual”.

 

André Luiz explica:

“Após a morte, é o corpo espiritual o veículo físico por excelência, com sua estrutura eletromagnética, algo modificado no que tange aos fenômenos genésicos e nutritivos” (fl. 29, “Evolução em Dois Mundos”, 25ª Edição).

 

Nós já estudamos que a mente vibra incessantemente e, por meio desta vibração, há o atrito com a atmosfera que dá origem ao envoltório mais sutil que envolve o espírito, o chamado “corpo mental” ou “campo mental”.

 

Este corpo mental, utilizando do fluído cósmico universal do plano de existência em que está o espírito, dá origem ao corpo espiritual (perispírito ou veículo físico daquela dimensão). Assim temos:

 

Mente à corpo mental à corpo espiritual

 

Vimos que, para ingressar em nossa dimensão vibratória, constituída por matéria densa, é necessária a formação do corpo que nós comumente chamamos didaticamente de “físico” para facilitar a diferenciação entre as duas dimensões.

 

Lembremo-nos da passagem do Livro “Nosso Lar”, quando André Luiz vai visitar sua mãe, estando os dois nas faixas vibratórias que constituem a dimensão conhecida como Mundo Espiritual.

 

Apesar de ambos estarem no chamado Mundo Espiritual, eles habitavam faixas vibratórias diferentes. André Luiz em “Nosso Lar” e sua mãe em alguma faixa vibratória mais sutil e elevada.

 

Naquela oportunidade, André Luiz adormece, seu espírito se desprende do corpo espiritual (períspirito/corpo físico daquela dimensão), e ele, servindo-se de um corpo mais sutil projetado pelo seu campo mental especificamente para aquela finalidade, vai à dimensão em que está sua mãe e a visita.

 

Estudamos que, em razão de nosso estágio evolutivo, possuímos ainda uma vibração mental densa, que dá origem ao corpo mental e  ao corpo espiritual mais grosseiros.

 

Nós já estudamos que o corpo espiritual é também perecível e, além disso, é moldável pelo campo mental.

 

Ou seja, em razão da matéria na outra dimensão possuir atributos diferentes da matéria nesta dimensão, o corpo espiritual, apesar de concreto para quem habita aquele plano de existência, é moldável pelo pensamento.

 

Em razão disso, a pessoa desencarnada e com alto grau de consciência, pode assumir a aparência de outras reencarnações, ou tornar-se mais jovem. De outro lado, aqueles renitentes no caminho do mal podem degradar seu corpo espiritual, em razão da faixa vibracional em que se mantém, assumindo aparência desagradáveis e monstruosas (por projeção de seu campo mental doentio).

 

Tudo isso já foi estudado anteriormente; vamos agora aprofundar um pouco o estudo sobre o corpo espiritual.

 

 

II – Corpo Espiritual

Importante iniciarmos o estudo já com uma explicação de André Luiz:

 

“Claro está que é ele (corpo espiritual/perispírito) santuário vivo em que a consciência imortal prossegue em manifestação incessante, além do sepulcro, formação sutil, urdida em recursos dinâmicos, extremamente porosa e plástica, em cuja tessitura das células, noutra faixa vibratória, à face do sistema de permuta visceralmente renovado, se distribuem mais ou menos à feição das partículas colóides, com a respectiva carga elétrica, comportando-se no espaço segundo a sua condição específica e apresentando estados morfológicos conforme o campo mental a que se ajusta” (Evolução em Dois Mundos, fl. 30).

 

Inicialmente frise-se: “tessitura das células”. Dessa forma, vemos que o corpo espiritual também é composto por células tal qual o corpo físico.

 

Ademais, torna-se claro o que foi dito: o corpo espiritual possui atributos que o sujeita à influenciação imediata do campo mental, ou seja, da mente da pessoa.

 

E vamos analisar novamente a explicação sobre a natureza do corpo espiritual:

 

“(…), o psicossoma é ainda corpo de duração variável, segundo o equilíbrio emotivo e o avanço cultural daqueles que o governam, além do carro fisiológico, apresentando algumas transformações fundamentais, depois da morte carnal, principalmente no centro gástrico, pela diferenciação dos alimentos de que se provê, e no centro genésico, quando há sublimação do amor, na comunhão das almas que se reúnem no matrimônio divino das próprias forças, gerando novas fórmulas de aperfeiçoamento e progresso para o reino do espírito”.

 

Dessa forma, está claro que o corpo espiritual é veículo físico do espírito na outra dimensão vibratória, estando sujeito, inclusive, a duração variável.

 

Pois bem, assim como aqui, o corpo espiritual também é formado por células.

 

Agora, lembremos o que estudamos sobre o desenvolvimento do princípio espiritual. Ele não se inicia no reino mineral, passa para o vegetal, até alcançar os animais e, finalmente, a fase hominal?

 

Sendo assim, o corpo físico também está impregnado de princípios espirituais (crisálidas de consciência, ser potencial).

 

Disso resulta, que cada célula é um princípio inteligente sob o comando da mente maior, que é a pessoa.

 

Vejamos:

 

“Com o transcurso dos evos (eternidade), surpreendemos as células como princípios inteligentes de feição rudimentar a serviço do princípio inteligente em estágio mais nobre nos animais superiores e nas criaturas humanas, renovando-se continuadamente, no corpo físico e no corpo espiritual, em modulações vibratórias diversas, conforme a situação da inteligência que as senhoreia, depois do berço ou depois do túmulo

(…)

Articulam-se em múltiplas formas, adaptando-se às funções que lhes competem no veículo de manifestação da criatura que temporariamente as segrega, à maneira de peças eletromagnéticas inteligentes, atendendo com precisão matemática aos apelos da mente” (Evolução em Dois Mundos, p. 51/52, 25ª Edição).

 

E disso resulta que a nossa mente dirige diretamente todas as células de nosso corpo físico e do corpo espiritual.

 

“Dispostas na construção da forma em processo idêntico ao da superposição dos tijolos numa obra de alvenaria, as células são compelidas à disciplina, perante a ideia orientadora que as associa e governa” (Evolução em Dois Mundos, p. 51/52, 25ª Edição).

 

E André Luiz revela que cada célula é um ser vivo, uma crisálida de consciência, mas já ser vivo:

 

“Temo-las, desse modo – repetimos -, por microscópicos motores elétricos, com vida própria, subordinando-se às determinações do ser que as aglutina e que lhes imprime a fixação ou a mobilidade”. (Evolução em Dois Mundos, p. 51/52, 25ª Edição).

 

Além disso, devemos entender que o caminho percorrido pela Consciência, iniciando-se no mineral, para depois de milhões e milhões de milênios chegar à fase Humana, faz com que a mente já coordene este exército celular de forma automática.

 

Assim, temos que tanto as células que formam o corpo físico, quanto as que formam o corpo espiritual, são seres vivos, crisálidas de consciência, princípios espirituais, que trabalham sob o comando de nossa mente, em processo contínuo e permanente de evolução.

 

No livro “Evolução em Dois Mundos”, há perguntas realizadas por Chico Xavier e Waldo Vieira, com respostas de André Luiz. Vejamos uma em especial:

 

“Pergunta – Como entendemos a mente em si, individualizada e operante, se as células do corpo espiritual têm vida própria como as do corpo físico?

Resposta: O problema é de simples orientação, qual acontece numa fábrica de largas proporções em que a gerência, unificada em seus programas de ação, supervisiona e comanda centenas de máquinas com diversos implementos cada uma, convergindo todas as peças do serviço para fins determinados”.

 

Essas revelações são importantíssimas, porque demonstram que os nossos corpos físico e espiritual são formados por entes vivos aglutinados por força do comando mental e que respondem diretamente ao impulso de nossa mente, ou seja, ao nosso comando.

 

Disso resulta mais uma explicação da enorme importância para harmonia mental.

 

Mantendo a mente em vibrações positivas, além das inúmeras outras consequências, temos que os corpos físico e espiritual estarão trabalhando a forma do comando principal.

 

Nuno Cobra, que foi o treinador do Ayrton Senna, afirma que ao acordar devemos programar nosso cérebro para coisas boas, assim liberamos hormônios que ajudam no perfeito funcionamento do corpo, facilitando a sensação de bem estar. Já, ao contrário, quando acordamos com o pensamento fixo de que o dia será cansativo, desgastante e ruim, a mente já se programa para um dia pesado, dando este comando para todo o corpo físico.

 

Com as explicações de André Luiz, vemos que ele possui razão.

 

As células do corpo irão obedecer ao comando de nossa mente, inclusive com a liberação de hormônios diversos.

 

Quanto mais saudável for a nossa mente, menos suscetíveis a desgaste estaremos, inclusive a doenças.

 

III – Exercícios Mentais e Práticas Edificantes

Estes exercícios mentais e práticas edificantes visam despertar nossa atenção para a necessidade de alterar nossos hábitos, ajudando em uma efetiva reforma íntima.

 

Até agora, os exercícios mentais e as práticas edificantes que sugerimos para todos fazermos durante a semana são:

 

1 – Afastar todo e qualquer pensamento não edificante durante o dia a dia;

1.1           – Evitar “perder a razão” (estado de cólera, raiva);

1.2           – Indignar-se com serenidade e razoabilidade;

1.3           – Exercitar a indulgência (capacidade de compreender e não divulgar defeitos alheios);

1.4           – Não se queixar da vida, evitar reclamações diárias e negativismos/evitar pessimismo;

1.5           – Não criticar o próximo, não julgar;

1.6           – Não se ofender (compreender o outro);

 

2        – Sempre que passar por alguém emitir bons pensamentos (principalmente para pessoas claramente necessitadas);

2.1           – Fazer pequenas gentilezas a quem está próximo;

2.2           – Participar de algum programa de caridade;

2.3           – Cultivar o otimismo sempre;

2.4           – Cultivar a tolerância com as diferenças e erros alheios;

3        – meditar cinco minutos por dia, ao menos três vezes na semana, preferencialmente antes de orar e preferencialmente antes de dormir;

 

4        – Leitura diária de mensagens curtas e edificantes, de preferência quando acordar e antes de dormir, de preferência antes de meditar/orar;

 

5        – Fazer Evangelho no Lar uma vez na semana;

 

6        – Perseverar;

 

7        – Estabelecer um hábito angular (hábito novo em sua vida, como deixar de ingerir alcoólicos, iniciar prática de exercícios, largar o cigarro, etc) e exercitar ao máximo o autocontrole dos atos cotidianos;

 

8        – Ser discreto (adotar a discrição sobre nossas vidas particulares);

 

9        – analisar criticamente os estímulos recebidos, seja de nosso inconsciente, seja de espíritos.

 

 

1 Comentário

Rosália { 3 de maio de 2013 às 17:47 }

Muito bom! Sempre muito bom!
Estudei, em filosofia, que as nossas células têm mente, também. Sempre se orientam, respondem a uma superior. Se analisarmos o TODO, é sempre assim. Os humanos são células vivas governadas por uma “Célula Superior”. Os planetas, por conseguinte, idem! Os universos…

Deixar um Comentário

Mensagens
Palestras todas as terças-feiras às 20:00 hrs no Núcleo Espírita - Amor e Paz
Rua Coronel José Bráz, 682 - Marília / SP

Clique aqui para ver a localização no mapa
| Clique para entrar em contato