Seção: Artigos Breno Costa Breno Costa - Artigos

Comunicação sobre Júpiter

Amigos, abaixo segue a comunicação recebida por Allan Kardec em 1858 sobre a vida em Júpiter, considerado um Mundo muito mais adiantado que o nosso.

Para se ter noção da diferença entre mundo, eis a pergunta 67:

67. Se o povo mais avançado da Terra se visse transportado para Júpiter, que posição ocuparia?

Resp. – A dos vossos macacos.

Confira toda a comunicação abaixo! Vale a pena!

 

1. Onde te encontraste ao deixares a Terra?

Resp. – Nela ainda me demorei.

 

2. Em que condições estavas aqui?

Resp. – Sob os traços de uma mulher amorosa e devotada; era apenas uma missão.

 

3. Essa missão durou muito?

Resp. – Trinta anos.

 

4. Lembra-te do nome dessa mulher?

Resp. – É obscuro.

 

5. A estima em que são tidas tuas obras te agrada? E isso te compensa dos sofrimentos que suportaste?

Resp. – Que me importam as obras materiais de minhas mãos? O que me importa é o sofrimento que me elevou.

 

6. Com que objetivo traçaste, pelas mãos do Sr. Victorien Sardou, os desenhos admiráveis que nos deste sobre o planeta Júpiter, onde habitas?

Resp. – Com o fim de inspirar o desejo de vos tornardes melhores.

 

7. Desde que vens com freqüência a esta Terra que habitaste tantas vezes, deves conhecer bastante o seu  estado físico e moral para que possas estabelecer uma comparação entre ela e Júpiter; rogamos-te, pois,  nos esclareças sobre diversos pontos.

Resp. – Ao vosso globo venho apenas como Espírito; o Espírito não tem mais sensações materiais.

 

ESTADO FÍSICO DO GLOBO

8. Pode-se comparar a temperatura de Júpiter à de uma de nossas latitudes?

Resp. – Não; ela é suave e temperada; sempre igual, enquanto

a vossa varia. Lembrai dos Campos Elísios que vos foram descritos.

 

9. O quadro que os Antigos nos deram dos Campos Elísios resultaria do conhecimento intuitivo que possuíam de um mundo superior, tal como Júpiter, por exemplo?

Resp. – Do conhecimento positivo; a evocação permanecia nas mãos dos sacerdotes.

 

10. A temperatura varia segundo as latitudes, como na Terra?

Resp. – Não.

 

11. Conforme nossos cálculos, o Sol deve aparecer aos habitantes de Júpiter sob um ângulo muito pequeno e, em conseqüência, dar-lhes pouca luz. Podes dizer-nos se a intensidade da luz é ali igual à da Terra ou se é menos forte?

Resp. – Júpiter é envolvido por uma espécie de luz espiritual que mantém relação com a essência de seus habitantes. A luz grosseira de vosso Sol não foi feita para eles.

 

12. Há uma atmosfera?

Resp. – Sim.

 

13. A atmosfera de Júpiter é formada dos mesmos elementos que a atmosfera terrestre?

Resp. – Não; os homens não são os mesmos; suas necessidades mudaram.

 

14. Existem água e mares?

Resp. – Sim.

 

15. A água é formada dos mesmos elementos que a nossa?

Resp. – Mais etérea.

 

16. Há vulcões?

Resp. – Não; nosso globo não é atormentado como o vosso; lá, a Natureza não teve suas grandes crises; é a morada dos bem-aventurados; nele, a matéria mal existe.

 

17. As plantas têm analogia com as nossas?

Resp. – Sim, mas são mais belas.

 

ESTADO FÍSICO DOS HABITANTES

18. A conformação do corpo dos habitantes guarda relação com o nosso?

Resp. – Sim, é a mesma.

 

19. Podes dar-nos uma idéia de sua estatura, comparada à dos habitantes da Terra?

Resp. – Grandes e bem proporcionados. Maiores que os vossos maiores homens. O corpo do homem é como o molde de seu Espírito: belo, onde ele é bom; o envoltório é digno dele: não é mais uma prisão.

 

20. Lá os corpos são opacos, diáfanos ou translúcidos?

Resp. – Há uns e outros. Uns têm tal propriedade; outros têm outra, conforme sua destinação.

 

21. Concebemos isso para os corpos inertes, mas nossa questão refere-se aos corpos humanos.

Resp. – O corpo envolve o Espírito sem o ocultar, como um tênue véu lançado sobre uma estátua. Nos mundos inferiores o invólucro grosseiro oculta o Espírito a seus semelhantes; mas os bons nada têm a esconder: podem ler no coração uns dos outros. Que aconteceria se assim fosse na Terra?

 

22. Há sexos diferentes?

Resp. – Sim; há sexo por toda parte onde existe a matéria; é uma lei da matéria.

 

23. Qual a base da alimentação dos habitantes? É animal e vegetal, como aqui?

Resp. – Puramente vegetal; o homem é o protetor dos animais.

 

24. Foi-nos dito que eles absorvem uma parte de sua alimentação do meio ambiente, do qual aspiram as emanações; isso é exato?

Resp. – Sim.

 

25. Comparada à nossa, a duração da vida é mais longa ou mais curta?

Resp. – Mais longa.

 

26. Qual é a duração média da vida?

Resp. – Como medir o tempo?

 

27. Não podes tomar um de nossos séculos por termo de comparação?

Resp. – Creio que mais ou menos cinco séculos.

 

28. O desenvolvimento da infância é proporcionalmente mais rápido que o nosso?

Resp. – O homem conserva a sua superioridade; a infância não comprime sua inteligência nem a velhice a extingue.

 

29. Estão os homens sujeitos a doenças?

Resp. – Não estão sujeitos aos vossos males.

 

30. A vida está dividida entre a vigília e o sono?

Resp. – Entre a ação e o repouso.

 

31. Poderias dar-nos uma idéia das diversas ocupações dos homens?

Resp. – Seria preciso dizer muito. Sua principal ocupação é encorajar os Espíritos que habitam os mundos inferiores a perseverarem no bom caminho. Não havendo entre eles infortúnio a aliviar, vão procurá-los onde existe sofrimento; são os Espíritos bons que vos sustentam e vos atraem ao bom caminho.

 

32. Ali se cultivam certas artes?

Resp. – Lá elas são inúteis. As vossas artes são brinquedos que distraem vossas dores.

 

33. A densidade específica do corpo humano permitelhe transportar-se de um lugar a outro, sem ficar, como aqui, preso ao solo?

Resp. – Sim.

 

34. Experimenta-se ali o tédio e o desgosto da vida?

Resp. – Não; o desgosto da vida não provém senão do desprezo de si mesmo.

 

35. Sendo menos denso do que os nossos, o corpo dos habitantes de Júpiter é formado de matéria compacta e condensada, ou de matéria vaporosa?

Resp. – Compacta para nós; mas não o seria para vós: é menos condensada.

 

36. O corpo, considerado como feito de matéria, é impenetrável?

Resp. – Sim.

 

37. Seus habitantes têm uma linguagem articulada, como a nossa?

Resp. – Não; entre eles há comunicação de pensamentos.

 

38. A segunda vista é, como nos disseram, uma faculdade normal e permanente entre vós?

Resp. – Sim, o Espírito não tem entraves; nada se lhe oculta.

 

39. Se ao Espírito nada se oculta, conhece, pois, o futuro? Referimo-nos aos Espíritos encarnados em Júpiter.

Resp. – O conhecimento do futuro depende da perfeição do Espírito; tem menos inconvenientes para nós do que para vós; é- nos mesmo necessário, até  certo ponto, para a realização das missões que devemos executar; mas, daí a dizer que conhecemos o futuro, sem restrição, seria colocar-nos na mesma posição que Deus.

 

40. Podeis revelar-nos tudo quanto sabeis sobre o futuro?

Resp. – Não; esperai até que tenhais merecido sabê-lo.

 

41. Comunicai-vos  com os outros Espíritos mais facilmente do que o fazeis conosco?

Resp. –  Sim! sempre: não existe mais a matéria entre eles e nós.

 

42. A morte inspira o horror e o pavor que provoca entre nós?

Resp. – Por que seria apavorante? O mal já não existe entre nós. Só o mau encara o seu último momento com pavor: ele teme o seu juiz.

 

43. Em que se transformam os habitantes de Júpiter após a morte?

Resp. – Crescem sempre em perfeição, sem mais terem que sofrer provas.

 

44. Não haverá, em Júpiter, Espíritos que se submetam a provas para cumprirem uma missão?

Resp. – Sim, mas não se trata mais de uma prova; só o amor do bem os leva a sofrer.

 

45. Podem falir em suas missões?

Resp. –  Não, visto que são bons; não há fraqueza senão onde há defeito.

 

46. Poderias nomear alguns dos Espíritos habitantes de Júpiter que cumpriram uma grande missão na Terra?

Resp. – São Luís.

 

47. Poderias indicar outros?

Resp. – Que vos importa? Há missões desconhecidas  que não têm por objetivo senão a felicidade de um só; são, por vezes, maiores: e são mais dolorosas.

 

OS ANIMAIS

48. O corpo dos animais é mais material que o dos homens?

Resp. – Sim; o homem é o rei, o Deus terrestre.

 

49. Entre os animais há os que são carnívoros?

Resp. – Os animais não se estraçalham entre si; vivem todos submetidos ao homem, amando-se mutuamente.

 

50. Mas não haverá animais que escapem à ação do homem, como os insetos, os peixes, os pássaros?

Resp. – Não; todos lhe são úteis.

 

51. Disseram-nos que os animais são os servidores e os operários que executam os trabalhos materiais, constroem as habitações, etc; isso é verdade?

Resp. – Sim; o homem não se rebaixa mais para servir ao

seu semelhante.

 

52. Os animais servidores estão ligados a uma pessoa ou a uma família, ou são tomados e trocados à vontade, como aqui?

Resp. – Todos se ligam a uma família particular; mudais mais, para achar um melhor.

 

53. Vivem os animais servidores em estado de escravidão ou de liberdade? São uma propriedade ou podem mudar de dono à vontade?

Resp. – Eles lá se encontram em estado de submissão.

 

54. Os animais trabalhadores recebem uma remuneração qualquer por seus esforços?

Resp. – Não.

 

55. As faculdades dos animais desenvolvem-se por uma espécie de educação?

Resp. – Eles o fazem por si mesmos.

 

56. Os animais têm uma linguagem mais precisa e mais caracterizada que a dos animais terrestres?

Resp. –  Certamente.

 

ESTADO MORAL DOS HABITANTES

57. As habitações de que nos deste uma amostra por teus desenhos estão reunidas em cidades, como aqui?

Resp. – Sim; os que se amam se reúnem; só as paixões estabelecem a solidão em torno do homem. Se, ainda mau, procura este seu semelhante, que para ele não é senão um instrumento de dor, por que o homem puro e virtuoso fugiria do seu irmão?

 

58. Os Espíritos são iguais ou de diferentes graduações?

Resp. – De diversos graus, mas da mesma ordem.

 

59. Rogamos que te reportes à escala espírita que demos

no segundo número da Revista, e que nos digas a que ordem pertencem os Espíritos encarnados em Júpiter.

Resp. –  Todos bons, todos superiores; por vezes o bem desce até o mal; mas o mal jamais se mistura ao bem.

 

60. Os habitantes formam diferentes povos, como na Terra?

Resp. – Sim; mas todos se unem entre si pelos laços do amor.

 

61. Sendo assim, as guerras são desconhecidas?

Resp. – Pergunta inútil.

 

62. Na Terra poderá o homem alcançar suficiente grau de perfeição que o isente das guerras?

Resp. – Seguramente alcançará; a guerra desaparecerá com o egoísmo dos povos e à medida que compreenderem melhor a

fraternidade.

 

63. Os povos são governados por chefes?

Resp. – Sim.

 

64. Em que se baseia a autoridade dos chefes?

Resp. – No seu grau superior de perfeição.

 

65. Em que consiste a superioridade e a inferioridade dos Espíritos em Júpiter, considerando-se que todos são bons?

Resp. – Eles têm maior ou menor cabedal de conhecimentos e experiência; depuram-se, à medida que se esclarecem.

 

66. Como na Terra, há povos mais ou menos avançados do que outros?

Resp. – Não; mas os há em diversos graus.

 

67. Se o povo mais avançado da Terra se visse transportado para Júpiter, que posição ocuparia?

Resp. – A dos vossos macacos.

 

68. Lá os povos são governados por leis?

Resp. – Sim.

 

69. Há leis penais?

Resp. – Não há mais crimes.

 

70. Quem faz as leis?

Resp. – Deus as faz.

 

71. Há ricos e pobres, isto é, homens que vivem na abundância e no supérfluo, e outros a quem falta o necessário?

Resp. – Não; todos são irmãos; se um possuísse mais que o outro, com este dividiria; não seria feliz quando seu irmão se privasse do necessário.

 

72. De acordo com isso, as fortunas seriam iguais para todos?

Resp. – Eu não disse que todos sejam ricos no mesmo grau; perguntastes se haveria os que possuem o supérfluo e outros a quem faltasse o necessário.

 

73. Essas duas respostas nos parecem contraditórias; Pedimos que estabeleças a concordância entre elas.

Resp. – A ninguém falta o necessário; ninguém possui o supérfluo, ou seja, a fortuna de cada um está em relação com a sua condição. Estais satisfeitos?

 

74. Agora compreendemos; mas perguntamos, ainda, se aquele que tem menos não é infeliz, relativamente àquele que tem mais?

Resp. – Não pode ser infeliz, desde que não é invejoso nem ciumento. A inveja e o ciúme fazem mais infelizes que a miséria.

 

75. Em que consiste a riqueza em Júpiter?

Resp. – Que vos importa?

 

76. Há desigualdades sociais?

Resp. – Sim.

 

77. Sobre o que se fundam tais desigualdades?

Resp. – Sobre as leis da sociedade. Uns são mais ou menos avançados em perfeição. Os que são superiores exercem sobre os outros uma espécie de autoridade, como um pai sobre os filhos.

 

78. As faculdades do homem se desenvolvem pela educação?

Resp. – Sim.

 

79. Pode o homem adquirir bastante perfeição na Terra para merecer passar imediatamente a Júpiter?

Resp. – Sim, mas na Terra o homem é submetido a imperfeições, a fim de estar  em relação com os seus semelhantes.

 

80. Quando um Espírito que deixa a Terra deve reencarnar-se em Júpiter, fica errante durante algum tempo até encontrar o corpo ao qual deverá se unir?

Resp. – Ele o é durante certo tempo, até que se tenha liberado das imperfeições terrestres.

 

81. Há várias religiões?

Resp. – Não; todos professam o bem e todos adoram um único Deus.

 

82. Há templos e um culto?

Resp. – Por templo há o coração do homem; por culto, o bem que ele faz.

 

 

 

53 Comentários

Raphael { 7 de fevereiro de 2013 às 20:18 }

Dentre todos os assuntos que a Doutrina Espírita me permitiu conhecer, a vida em Júpiter certamente é um dos mais, senão o mais, fascinante!

Parabéns pelo site Breno!

Fabio { 7 de fevereiro de 2013 às 20:57 }

Não tinha ainda tido o privilégio de ler toda a comunicação antes, maravilhoso. Sentir falta apenas da Bibliografia.
Muita Luz.

Sergio Sá { 7 de fevereiro de 2013 às 21:46 }

Como somos atrazados e,ignorantes.Nos achamos civilizados,inteligentes,cultos,unicos neste universo,mas como bem disse a entrevista,não passamos de macacos perto deles e,tenho certeza que acima deles há uma evolução muito maior,o que os faz ser atrazados perto de outros.Temos que acordar para a nossa realidade.

Breno Costa { 7 de fevereiro de 2013 às 22:08 }

Olá Fábio, é a revista espírita de 1858, mês de abril.
No google você acha a revista inteira, todos os meses e gratuito.
Abraços!

Breno Costa { 7 de fevereiro de 2013 às 22:09 }

Obrigado Rapahel!
O site é nosso! É para usarmos na divulgação de conhecimento e luz!
Ajude a divulgá-lo!
Abraços!
Breno.

Marina Galve { 23 de março de 2013 às 2:36 }

Eu não gostei muito de Jupiter , nem dos habitantes. Eles se dizem superiores, e colocam os animais para trabalhar. Eu não acho isto certo. Achei arrogante dizer que la ninguem servi o outro. Onde está a humildade.

Breno Costa { 23 de março de 2013 às 10:42 }

Olá Marina, é que sua visão está presa ao nosso estágio.

Júpiter seria a Terra daqui 10 mil anos, é muita coisa, até a matéria mudará. É outra concepção de vida. Se mudamos tanto em 500 anos, imagina em 10 mil anos…

Os animais trabalham porque já estão em um estágio de inteligência que é possível trabalhar e em breve, estarão passando para a classe de humanos (conforme ensina Kardec, o espírito inicia no mineral, passa pelo vegetal, pelos animais, até um dia chegar a humanidade). Ora, aqui, na Terra, nós não usamos animais para trabalhar? puxar carroça, por exemplo… Lá eles trabalham porque estão aprendendo com os seres humanos e se tornarão humanos em muito breve, eles não são escravizados e sim aprendizes.

Quanto a falta de humildade é que novamente vc está pensando em nossa sociedade. Lá, veja que não tem mais ricos e pobres, todos vivem harmonicamente. O rico não conseguiria viver sabendo que existem pobres…. não existe mais inveja, egoísmo, materialismo… assim, o espírito não precisa mais passar por provas de vida que envolvam a dificuldade material a fim de evoluir moralmente…. é uma sociedade Feliz, onde o Bem predomina…. é realmente difícil para nós imaginar o que seria isso…

Mesmo sendo difícil entender, analise as coisas boas da comunicação, como “somos protetores dos animais”, ou ninguém ficaria feliz sabendo que existe irmãos passando por miséria… etc..

Um dia chegaremos lá… onde o Bem predomina! Aqui, infelizmente vivemos em um mundo de expiação, onde o Mal predomina e onde a matéria predomina sobre o Espírito…

Abraços,
Breno.

Luiz Gustavo Muzzi Sant'Anna { 3 de abril de 2013 às 23:46 }

Como pano de fundo para um estudo em grupo, de cunho metodológico (exercício prático do método kardequiano de “controle universal do ensino dos Espíritos”) que apliquei na MEJA, há alguns anos atrás, eu utilizei justamente essa temática da encarnação nos diferentes mundos. Assim, vasculhei a Revista Espíria inteira à caça de todas as comunicações e também de todos os textos ali constantes sobre essa temática. Duas constatações dignas de nota foram estas: 1) Kardec simplesmente ABANDONOU as pesquisas e as publicações relacionadas a esse assunto a partir de 1960. O último texto foi um do Espírito Georges, cuja última pergunta se referia à Lua (na época, ainda considerada planeta). 2) Se compararmos o rumo que essa curta pesquisa de universalidade junto aos Espíritos acabou tomando (de 1858 ao início de 1860) – tentar investigar se há vida (leia-se, encarnação) em Júpiter, Marte, Vênus, Saturno etc. -, notaremos que ela acabou fugindo ao objeto de estudo da ciência espírita e invadiu o de outras ciências, tais como a Astronomia, a Biologia, a Física etc. Não é de se admirar que muitas descobertas recentes dessas ciências desmentem – a princípio – muitos dos detalhes narrados por esses vários Espíritos à equipe de Kardec. Não seria, talvez, por isso que o Codificador resolveu abandonar tais estudos? Vale destacar que, no princípio (vide comunicações de cunho mais filosófico, principalmente de 1858 e do início de 1859) tinha tudo a ver: saber que o Universo todo é povoado por Espíritos de diversos graus evolutivos e que há encarnação em outros globos – estes também com categorias evolutivas variáveis, dependendo da situação média de seus habitantes – é necessário para compreender melhor o princípio fundamental da contínua criação divina e para explicar como sempre há Espíritos para ocupar os corpos da humanidade em constante expansão numérica.

maria de fatima oliveira { 28 de abril de 2013 às 21:43 }

SÓ QUERO FRISAR QUE EU AMEI ESSA MATÉRIA ! E ACREDITO MUITO EM OUTROS PLANETAS E SEUS HABITANTES DE CATEGORIA MAIS EVOLUTIVAS. ABRAÇOS BRENO!

Breno Costa { 29 de abril de 2013 às 1:37 }

Que bom que gostou Maria de Fátima!

Veja os outros artigos no site, são bens legais!

abraços,
Breno.

zelia feira da costa { 19 de maio de 2013 às 16:05 }

adorei essa matéria veio comprovar minha visão que tem planetas em nosso universo mais evoluídos espiritualmente que nosso planeta terra,pois creio que deus sempre é justo em suas criações.

Claudio Palermo { 23 de junho de 2013 às 21:59 }

Bom recordar esta parte da comunicação com espíritos Ultraterrestres. Lembrando que décadas depois O filme 2001 Uma Odisséia no espaço mostra os humanos dirigindo-se até Júpiter para o contato com seres de lá. Abraços

Gustavo { 28 de julho de 2013 às 18:32 }

O espiritismo é assim. Por mais que estudemos e busquemos aprimorar nossos conhecimentos, tanto através do estudo propriamente dito, quanto na prática da caridade e do atendimento fraterno, sempre deparamo-nos com uma gama de informações infinitamente maior do que pensamos que encontraríamos. Além desta comunicação sobre Júpiter, podemos citar livros como “Senhores da Escuridão”, de Robson Pinheiro, como uma fonte de novidades gigantesca, as quais podemos nem ao menos dar crédito, se não possuirmos embasamento e conhecimento suficientes. Parabéns, e muito obrigado por contribuir para o nosso conhecimento. Incrível mesmo estas informações sobre Júpiter.

Breno Costa { 28 de julho de 2013 às 18:39 }

Olá Gustavo. Concordo com você.
Imagina a seara espírita quando Chico começou a publicar o Livro Nosso Lar e os demais de André Luiz…
Precisamos analisar todas as informações e estudar muito, mas com certeza ainda estamos começando a acordar para a realidade do Universo. Precisamos estudar muito mais!
Abraços!

maria cristina alves sampaio { 28 de julho de 2013 às 22:28 }

gostei muito de saber que jupeter tem abitamtes

Roberta Maria Anselmo { 24 de agosto de 2013 às 0:26 }

muito interessante, essa parte de que um dia os animais vão ser seres humanos, é de se pensar que é certo, pois tem cada coisa que eles fazem que até falamos ” nossa até parece gente! ” . e todo o contexto.

Breno Costa { 24 de agosto de 2013 às 2:39 }

Olá Roberta, o princípio espiritual que anima o animal um dia será um Espírito Humano. Recomendo a leitura do “Evolução do Princípio Espiritual” partes 1 e 2, no link “palestras”.
Abraços.

Tony { 15 de setembro de 2013 às 8:42 }

Estamos em um estagio em que temos que sofrer provas! Em uma prisão que na maioria,(90%) das pessoas passam por muitas dificuldades tanto material como pisicologicas. Existe sorte ou azar aqui… ou tudo esta determinado?

Breno Costa { 15 de setembro de 2013 às 11:44 }

Olá Tony.
Seguimos a lei de causa e efeito, ação e reação, lei do carma.
Não é que tudo está determinado, possuímos o livre arbítrio. Porém, necessitamos resgatar os erros do passado. Assim, conseguimos sublimar nossas mentes, nos preparando para um mundo melhor.
Abraço,

MARCIA ALBERGE { 24 de outubro de 2013 às 0:22 }

Amei, é muito fascinante, estamos estudando sobre a espiritualidade e isto vem só acrescentar para mim nos estudos.
Obrigada

marluce bonoto g. ferreira { 15 de novembro de 2013 às 0:52 }

muito obrigado,estou e
aprendendo muito c vc,Deus lhe abençoe

Cesar tadeu da Silva Gonçalves { 28 de dezembro de 2013 às 5:29 }

ótimo exemplo, vamos trabalhar para chegar perto dessa fraternidade como? caridade caridade caridade bem irmãos.

Wilker Malta { 17 de fevereiro de 2014 às 19:40 }

Breno Costa estou maravilhado com o texto.Eu sempre imaginei que a vida estivesse espalhada por todo o Universo nas mais variadas formas e graus evolutivos.E saber que “tão perto” de nós há irmãos em graus muitos superiores a nós me conforta e me dá mais incentivo a galgar os passos necessários na senda do bem, para que um dia, quando eu chegar a este nível poder olhar para os irmãos na Terra e lembrar: eu já estive ali. Fraterno abraço!

Norma Lobo { 19 de março de 2014 às 16:58 }

Gostei de ler este diálogo/informação.Mas,tenho de admitir que a opinante Marina Galve tem alguma razão quando fala em sobranceria por parte de A.Kardek….no entanto aceito o modo pois ele apenas quer informar de modo rápido ( 1+1=2).Em tempo li não lembro em que site, uma entrevista ( verdadeira?) cedida por Mozart s viver em JÚPITER..Será verdade ? Grata.

rhulio yan { 3 de abril de 2014 às 18:28 }

E algo muito bizarro quando vi pela primeira vez sobre o assunto foi como levar um tapa na cara e cuspir as leis e estudos da ciencia comum.

rhulio yan { 3 de abril de 2014 às 18:35 }

Porem acabo por aceitar quem sou eu para questionar a realidade de DEUS. Parabens pela materia muito gratificante. Paz e luz a todos

Marial Rauber { 3 de maio de 2014 às 10:56 }

Estou feliz por cair em minhas mãos estas informações preciosas, sou ávida por saber sobre o mundo espiritual, me deu uma paz infinita depois desta leitura. Obrigada e que Deus te ilumine cada vez mais.

Fabiana Chagas Gerzson { 4 de maio de 2014 às 14:46 }

Adorei li várias vezes, muito bom, mas cheguei à conclusão que de que vou demorarrrrr e muitoooo para chegar há um estado de evolução e morar num lugar como este!

Maiara { 4 de maio de 2014 às 16:23 }

Sempre fui apaixonada por jupiter e nunca tinha lido nada tão completo sobre o assunto. Obrigada Breno

Maiara { 4 de maio de 2014 às 16:53 }

Em qual livro ou revista estão essas informações?

Breno Costa { 4 de maio de 2014 às 17:03 }

Olá Maiara, é na revista espírita editada pelo próprio Allan Kardec, 1858.
Abraços,

Marina { 3 de agosto de 2014 às 11:51 }

Achei algumas respostas um pouco arrogantes e grosseiras. Acredito na Doutrina mas isso me causou estranhamento. Respostas do tipo”que vos importa?”. Sinceramente, não achei educado. Poderiam responder como a algumas perguntas do Livro dos Espíritos em que dizem, por exemplo, que não teríamos ainda como compreender etc.

neuza maria batista { 3 de agosto de 2014 às 13:48 }

Gostei muito da matéria, interessante. Deve ser muito bom viver em Júpiter. Parabéns. Neuza

Breno Costa { 3 de agosto de 2014 às 15:34 }

Olá Marina.
Devemos lembrar que é apenas uma comunicação de uma pessoa que vive lá.
Essa pessoa só está num nível evolutivo mais avançado, mas ainda não é Espírito Perfeito/Puro.
Normal que em alguns momentos possa responder de forma que não agrade.
Abraços.

gisele { 3 de agosto de 2014 às 20:23 }

não podemos ter a pretensão de acreditar que, num universo que nem podemos imaginar o tamanho, só o nosso planeta seja habitado…

Ana Lúcia Ribeiro da Silva { 3 de setembro de 2014 às 18:15 }

Muito se fala sobre a vida em Júpiter. Não tinha conhecimento dessa entrevista. Sensacional. Bacana.

ROSE ELIANE { 22 de abril de 2015 às 10:19 }

Achei estranha a matéria,sempre achei que existisse outros planetas abitados,mas nunca pensei em Júpiter….mas sempre achei que seria assim:mais evoluídos,sem guerras,sem cobiça e com muito amor.

Mauro { 27 de setembro de 2015 às 4:53 }

Essa matéria é que afasta os novatos da vinha ”renovada” de Jesus, que é o espiritismo. O espiritismo veio a revelar para continuar a ajudar nossa sociedade a evoluir. Mas essa matéria, sinceramente tem algo muito errado. Uma arrogância impetuosa varreu quase todas as respostas, difícil imaginar alguém tão amável e puro responder perguntas sem o menor grau de afabilidade ou doçura. Digo isso porque as respostas nos livros da doutrina tais como O Livro dos Espiritos, que foi um livro de estudo importante, não tinham essa mesma carga ”sombria”. Para mim, essa entrevista foi real mas alguém pode ter alterado antes de imprimir. A igreja católica pode ter encontrado, enfim, Luiz Gustavo Muzzi Sant’Anna comentou e expos com grande finese e inteligência o que eu acho dessa matéria. Porque Kardec abandonou os estudos interplanetários? E outra, meu instinto me diz alguma coisa está por de trás de qualquer revelação extraterrestre (mesmo que não córporea) Nikola Tesla por exemplo desenvolveu esquemas que logo acabaram com sua vida, nesse exemplo vocês pensam que o espiritismo também não foi/é alvo dos inimigos? Agora uma pergunta que não quer calar. Mesmo que você seja um corpo semi-material, a atmosfera de Júpiter seria pertubadora. Para onde você olhasse, mesmo que nada o antingisse, tudo o que você jupiteriano viria seriam tempestades, raios e odores; Júpiter é um gigante gasoso. Pode ter núcleos congelados e rochedos mas uma superfície…? Se dependem de superfície ou não, digamos, porque ninguém nunca nos explicou em que categoria se encontra? Isso ai não é ”Júpiter” mas simplesmente um plano espiritual em Júpiter, que não é a mesma coisa. Essa parte é confusa mas até que faz sentido, mas o porque das respostas curtas e grossas faltando com o mínimo de doçura e 2 ou 3 contradições me faz pensar se eu quero mesmo ir para ”Júpiter”. A piores; Todos lá se amam, mas o homem não se rebaixa lá mas é servido pelos animais (que nada recebem em troca), lá somos macacos… Por favor, eu DUVIDO que Jesus Cristo por exemplo falaria dessa forma. Se alguém arrogante normal parou lá, eu paro também.

Mauro { 27 de setembro de 2015 às 5:12 }

Se júpiter oferece vida desconhecida em outro plano, então não é essencialmente júpiter mas sim um plano espiritual que se encontra lá. Como a esfera que o Nosso Lar deve habitar por exemplo… Está faltando alguém bom, dar continuidade ao espiritismo… Para pelo menos poderem espelhar ai mais categorias e definições de dimensionalidades etc. Vida orgânica material por exemplo é a nossa, agora que estamos no século 21 tá carecendo uma distinção para digamos uma nova vida catalogada nesse caso seria vida imaterial-interdimensional-inorgânica… Qualquer coisa mais técnica para estabelecer e dividir melhor seria ótimo e bem menos confuso.

Mauro { 27 de setembro de 2015 às 5:17 }

Último scrap. A arrogância é realmente real mesmo que não seja por mal. Se a arte lá é inútil, como ela manifestou sobre Victorien Sardou? Se arte é considerada inútil lá… pra que que eles tem tantos adornos lindos em suas casas étereas? Dica: Duvide de tudo que não vier explicitamente da Doutrina sólida do Kardec.

Breno Costa { 27 de setembro de 2015 às 10:06 }

Olá amigo, os textos ficaram muito grandes, eu me perdi. Mas vamos lá.

1º – É uma comunicação da Revista Espírita, recebida por Kardec e publicada por ele. Ou seja, Kardec, em pessoa, analisou e julgou a comunicação coerente a ponto de achar que deveria ser publicada.

2º – Você nega a vida nos outros sete sextilhões de planetas e suas infinitas dimensões vibratórias? A vida no que chamado plano espiritual não é vida? Se em Júpiter e qualquer outro planeta existir vida nas dimensões da matéria conhecidas como, em seu conjunto, “mundo espiritual”, não será considerada vida?

3º – Será arrogância deles ou orgulho seu? Eu, particularmente, entendi a mensagem em seu conteúdo transcendental, ou seja, muito superior às nossas noções de forma de vida social e espiritual. Repare quando ele fala que não existe mais religião, a religião é o amor e o conhecimento.

Agora, a beleza do Espiritismo é essa, cada um tem acesso a informação e julga do jeito que quiser. Se for, não vai mudar porque vc não acredita e se não for, não vai mudar porque eu acredito.

Fique com Deus.

Abraços,

Eduardo { 7 de outubro de 2015 às 13:57 }

Fantástico!!! Li essa entrevista com muita alegria!!! Tenho certeza que lá é tudo muito bom e um dia chegaremos a esse patamar evolutivo!!! Viva o espiritismo!!!! Parabéns Breno!!!!

Márcia Regina { 21 de janeiro de 2016 às 0:15 }

Mauro faço coro com você! Tive a mesma sensação de certa arrogância ou no mínimo demasiada impaciência (tolerância zero) nas respostas, para um espírito que se diz pertencer a um planeta de seres de escala espiritual bons e superiores, onde diz que a principal ocupação dos de lá é encorajar os Espíritos que habitam os mundos inferiores a perseverarem no bom caminho, vejo certa incoerência entre o contexto das respostas com a forma a que elas foram ditas, desculpem os demais e Sr. Kardec mas não me convenceu!

Breno Costa { 21 de janeiro de 2016 às 7:35 }

Fique Tranquila Márcia, o Sr. Kardec é favorável a isso: análise crítica de todas as mensagens recebidas.
Ele ensinou: “melhor rejeitar 10 verdades do que aceitar 1 mentira”.
Pelos motivos já explicados, acredito na mensagem. É coerente com todos os estudos que eu já fiz sobre mundos mais desenvolvidos.
Além disso, devemos lembrar que a mensagem foi escrita em 1850 em francês (algumas palavras podem sofrer alteração na tradução).
Abraços e obrigado pela sua participação,
Breno Costa.

Clóvis { 22 de outubro de 2016 às 22:52 }

Pessoal, acho que vocês são loucos, sinceramente. Júpiter foi visitado por diversas sondas no século XX e no século XXI. Não passa de um planeta gasoso. Como pode have vida humana lá? Como podem humanos morar lá? Kardec estava louco nesse texto e vocês caem nas lorotas.

Breno Costa { 24 de outubro de 2016 às 14:12 }

Olá amigo, obrigado por sua participação.
No caso, segundo foi relatado, a vida não seria no universo tridimensional/físico, mas sim, no universo espiritual/tetradimensional. Logo as condições de vida são diferentes e aparelhos físicos não conseguiriam captar a vida na esfera espiritual.
Abraços, Breno.

Rafael { 24 de março de 2017 às 17:45 }

Breno Costa, obrigado pela resposta às colocações do Clóvis: respondeu minha dúvida. Caso você ainda frequente o artigo, levanto outra questão: sabendo-se que pode existir vida num globo de forma que nossos aparelhos físicos não possam detectá-la, seria possível, pois, que dividissem o mesmo globo duas civilizações: uma tridimensional/física e outra espiritual/tetradimensional?

Isto posto, se viermos a habitar Marte, que para nós é desértico e para o espiritismo é habitado, seria o caso de um globo dividir duas civilizações em estados materiais distintos?

Breno Costa { 25 de março de 2017 às 8:24 }

Olá Rafael.
Essa divisão ocorre aqui na Terra. Nós temos o Universo Físico e o Universo Espiritual. O Universo Espiritual (quarta dimensão) é muito mais complexo do que o Universo Físico. No Universo Espiritual a matéria está em outra composição e isso viabiliza outras formas de vida, tempo e espaço. Nele há esferas (sub-dimensões) coexistindo e é possível se locomover entre elas (portais dimensões – campos de saída citados por André Luiz no livro Libertação).
O que chamamos de mundo espiritual, céu ou inferno, são rótulos para o Universo Espiritual – Quarta dimensão da matéria.
A consciência é imortal, o espírito é imortal, ora está vivo nesta dimensão (terceira), ora em algumas das sub-dimensões (esferas espirituais relatadas na coleção André Luiz). Reencarnação é o nome para reentrar no corpo de manifestação desta dimensão e desencarnação é o rótulo para designar a saída dele.
Em Júpiter, segundo consta, a humanidade está muito avançada, há centenas de anos já estão na fase de regeneração. Nesse sentido, é possível concluir que a vida na terceira dimensão, formada de matéria densa e por isso penosa ao espírito, não é mais necessária. Lá, a vida se desenvolveria apenas no Universo Espiritual (suas sub-dimensões, esferas espirituais).
Mas, conforme aprendi com meus guias espirituais, a evolução ainda continua, porque existiria a quinta dimensão, um Universo Mental, o qual seria tão inapreciável para nós que é impossível qualquer explicação.
Abraços,
Breno Costa.

Sayonara Coelho { 9 de maio de 2017 às 15:46 }

Excelente perguntas e resposta do expírito retirado da Revista Espirita em 1858, por Kardec.
Quero lembrar que se voce for responder a uma criança de 4 anos, diversos perguntas a respeito do ABC e com perguntas análogas e sem sentido, você também ficaria assim como ele (o espírito), enfadonho e cansativo.
Obrigada Breno.
Obrigada Kardec
Obrigada Jesus.

Sayonara Coelho { 9 de maio de 2017 às 15:47 }

Desculpem-me os erros:
*respostas
*espíritos

Ricardo Azevedo Scricco { 25 de outubro de 2017 às 13:39 }

Para estudarmos e compreender a Doutrina Espírita, devemos estar com a mente aberta. Um conhecimento leva a outro e assim vai. Realmente é difícil acreditarmos na existência de vida física no planeta Jupiter, mas um ponto me chamou a atenção, é com respeito a locomoção dos habitantes ao que parece podem locomover-se, tipo ” voando”, nesse caso essencialmente não existe um corpo físico como os nossos, porém totalmente mais etéreo, mais próximo dos espíritos desencarnados. Eu tentei ler o livro de Ramatis – Vida em Marte, parei quase na metade porque achei totalmente incoerente, pois ele pintava cidades maravilhosas com prédios, etc.., sendo que as observações da ciência nada constataram, além de um total deserto na superfície do Planeta. Mas voltando para Jupiter e considerando que os habitantes tenham uma essência totalmente diferente da nossa, acho plenamente possível crer na existência de vida, semi-material, lá. Abraço.

Breno Costa { 26 de outubro de 2017 às 18:10 }

Exato. Tenho para mim que essa vida se dá nas dimensões espirituais.
abraços fraternos,

leonardo placido { 13 de novembro de 2017 às 11:21 }

Hoje (em sonho) tive um encontro com habitantes de jupiter, que me explicaram a forma como vivem e suas caracteristicas como civilização mais avançada.
Incrivel como o texto descreve tudo que foi passado para mim!

Deixar um Comentário

Mensagens
Palestras todas as terças-feiras às 20:00 hrs no Núcleo Espírita - Amor e Paz
Rua Coronel José Bráz, 682 - Marília / SP

Clique aqui para ver a localização no mapa
| Clique para entrar em contato